terça-feira, 30 de agosto de 2011

Bicicletada de Agosto


Na úlitma sexta-feira ocorreu mais uma Bicicletada em São Paulo, e pude comparecer apesar do frio e da garoa fina, é a segunda vez que participo. E confesso que é um evento que quem vai pela primeira vez, sempre quer ir nas próximas.
Dessa vez o tema foi a Bicicletada dos Bichos, muitas pessoas foram fantasiadas, outras só pntaram a cara, outras levaram bichos de pelúcia, mas o principal é o intúito da Bicicletada, levar aos quatro cantos o uso da bicileta como meio de tranporte e lazer, que devemos compartilhar o espaço nas ruas entre, motoristas, motociclistas, ciclista e pedestres, que a rua é para todos.
O trajeto é bem tranquilo, num rítmo bem lento, as pessoas vão cantando, buzinando, tocando suas campainhas, sempre com muita alegria.
Sempre que puder estarei na Bicicletada e aproveito para convidar todos aqueles que ainda não foram. Ela acontece sempre na última sexta-feira de cada mês, mais informações: http://bicicletada.org/saopaulo
Abraços

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Eu vou ter que voltar bem no passado...
Como toda turma, durante a infância, sempre tem épocas das diversões do momento. Tipo, durante meses a molecada só que andar de skate, outros meses de patins, outros meses bike, e por aí vai. E dentre tudo isso tinha o futebol que era de lei em qualquer época.
Eu cresci sempre praticando algum esporte, nunca fui um jogador excepcional em nada, mas sempre gostei.
A meninada vai crescendo, uns vão se mudando, outros ficam sedentários, outros enfim... chegou uma hora que me vi impossibilitado de participar de esportes coletivos, foi quando comecei a correr e fui me entusiasmando cada vez mais e treinava com regularidade por meses, depois parava por algum motivo maior e perdia o ritmo e assim intermitentemente seguia a prática.
Então, não lembro que ano que foi, mas todo mundo deve lembrar que teve uma época no princípio do novo milênio que toda vez que haviam greves nos transportes públicos a solução após o caos era aumentar a tarifa e aconteceu várias vezes num curto espaço de tempo. E eu revoltado com a porra toda e sem tempo pra fazer meu treinos de corrida devido ao excesso de atividades parei pra refletir e tive uma epifania: e se eu começar a ir pro trabalho de bicicleta?
Ah... mais eu já não tinha mais bicicleta há muito tempo.
Passei numa bicicletaria e montei uma mountain bike, que na época me saiu por R$300,00 e paguei quase chorando, pois eu ganhava uma merreca na época e ainda tinha que pagar a faculdade.
Assim resolveria vários problemas com uma só atitude.
O meu trabalho era relativamente perto de onde eu morava e eu levava meia hora de condução. E no primeiro dia que fui de bicicleta estava meio enferrujadão, mas assim mesmo levei o mesmo tempo que a lotação leva pra chegar lá.
Tornou-se uma prática regular, mas depois me mudei pro centro da cidade e continuei trabalhando no mesmo lugar. Devido à distância parei de ir trabalhar de bike, mas sempre mantinha meus rolês de fim de semana. E como sempre os fazia sozinho, saía sem rumo muitas vezes, com isso fui indo a lugares cada vez mais distantes.
Então um belo dia pensei: amanhã vou tentar ir até meu trabalho de bicicleta.
Devido a falta de experiência em pedalar nas vias mais movimentadas e inevitáveis durante a semana, levei duas horas e pouco pra ir da Santa Cecília até Ermelino Matarazzo e não voltei no mesmo dia.
Mas gostei e comecei a fazer assim: ia na segunda, deixava a bike lá, descansava na terça e voltava na quarta. O tempo de percurso ia diminuindo cada vez mais, pois eu ia pegando mais resistência. Depois comecei a ir na segunda e voltar na terça, descansava quarta, ia na quinta e voltava na sexta. Até que chegou um dia que fui e voltei no mesmo dia.
E hoje em dia sempre que o tempo colabora vou pro trabalho de bike, até porque levo o mesmo tempo que levaria pra ir de trem até lá (uma hora) e evito usar esse meio de transporte irritante que é o que "eles" têm pra nos oferecer como se fosse um grande favor que estivessem fazendo, nos dando migalhas e querendo nos convencer que é um senhor prato.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

como comecei

não lembro exatamente o ano, mas foi por volta de 2008, bateu aquela vontade de andar de bike. no início nem imaginava que um dia sairía pedalando para o trabalho, naquele momento queria simplesmente dar uns rolezinhos com amigos, ou mesmo sozinho. o hugo (hoje também membro de nosso grupo) disse que sua irmã estava vendendo a bike dela. depois de uma certa insistência ela foi convencida a me vender essa magrela aí da foto ao lado por apenas 100 reais. os primeiros rolês foram na ciclovia várzeas do tietê e no parque ecológico pelas manhãs. aí você, caro amigo ciclista, já sabe. quem anda de bike vai se interessando pelo assunto, aprendendo um pouco aqui e ali, e um dia resolvi encarar uma ida para o trabalho de bike. a distância foi curta, 7 km. fiquei muito empolgado quando vi que cheguei antes da lotação. para se chegar ao meu trabalho eu fui cortando caminho por ruas mais calmas e quando percebi, cheguei 30 minutos mais cedo do que costumava. foi nesse dia que tirei essa foto. e vc? como começou?

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Bicicletada de Agosto - Bicicletada dos Bichos

Arte: Leonardo Soares

O tema sugerido para Agosto é o "bicho", uma referência derivada do Mês do Cachorro Louco. Com essa sugestão temática em mente, faça da Bicicletada SP a SUA Bicicletada. Vale levar cartazes, levar animais, ir fantasiado, protestar, berrar, fazer apitaço e falar no megafone.

A Bicicletada acontece em São Paulo toda ultima sexta-feira do mês.
Nos reunimos na Praça do Ciclista (external link)( esquina da avenida Paulista com a Consolação ).
O encontro começa a partir das 18 horas e saímos em massa crítica por volta das 20 horas, ocupando as ruas para festejar a bicicleta como meio de transporte.
A Massa Crítica Paulistana convida as pessoas a ocuparem o espaço público de maneira inteligente.
Sempre com muita alegria, pessoas em seus veículos não-motorizados irão comemorar de uma maneira nada tradicional a "Mobilidade" de todos os cidadãos da cidade.

"Você aí parado, comemorar conosco, é o melhor lado!"

Aqui todo mundo é bem vindo, não importa o valor do seu carro ou a grife da sua cueca, venha como puder.....
A Bicicletada Paulistana (Critical Mass(external link)) acontece sempre na última sexta feira do mês há mais de 6 anos, e em mais de 400 cidades do mundo, simultaneamente. Para participar, a única obrigatoriedade é comparecer no ponto de encontro com um meio de transporte não motorizado. Pode ser Bicicleta, Patins, Skate ou até mesmo com seus próprios pés.
Não tem bicicleta ou não sabe pedalar?... sem problemas. Apareça o quanto antes na praça do ciclista ou entre em contato através dos links abaixo e veja como fazer para pegar uma bicicleta emprestada.

∴LOCAL:
O mesmo de sempre, Praça do Ciclista, que fica no canteiro central da Avenida Paulista, entre as ruas da Consolação e Bela Cintra.

∴HORÁRIO:
O mesmo de sempre, concentração a partir das 18:00 e saída às 20:00.

∴TRAJETO:
Como sempre, decidido na hora, mas sempre um trajeto que seja possível para toda a massa.

Apareça e confira. Em caso de chuva, a Bicicletada está automaticamente CONFIRMADA, pois quem pedala sabe que depois da tempestade vem o ar limpo, pelo menos por algumas horas.
(Fonte: bicicletada.org/saopaulo)

Para Inspirar!!!
video


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O Dia da Capivara Molhada


Essa foi uma semana diferente, tínhamos um passeio fechado para Mogi desde algumas semanas, porém depois de terça-feira começaram algumas previsões de chuva para o fim de semana, então esse passeio foi transferido para outra data ainda sem confirmação. No entanto sempre temos o role da Capivara na manga para essas situações, o marcamos com a intenção de que se não chovesse no domingo tivéssemos um rolezinho para não perder o fim de semana, mas não deu outra, já na madrugada de sexta para sábado ela veio, e ficou o sábado todo. E no domingo de manhã bem na hora marcada para o rolê ela ainda insistia. Então o rolê foi cancelado e voltamos todos a dormir, afinal a cama estava bem quentinha.
Foi quando às 11h da matina o Sandre me liga perguntando se estávamos no pedal, enquanto explicava a situação chega uma mensagem da Adriana perguntando a mesma coisa, então tivemos a idéia de ir dar um rolezinho por lá mesmo assim. Aproveitamos a trégua da garoa, nos arrumamos rapidinho e fomos. 
Paulinho, Adriana, Sandre, Jana e Gigi. Foto: Marcos
Nos encontramos mais ou menos ao meio-dia na ciclovia do parque, o frio era grande, mas mesmo assim o encaramos. Fizemos o nosso rolezinho tranqüilo, até que ela voltou, a garoa congelante do parque...




Na mesma hora resolvemos voltar, pois ela nos pegaria e não seria apenas uma garoa. Por sorte tem uma saída próxima a USP, onde cortamos caminho, atravessando a passarela que dá acesso a Assis Ribeiro.



Seguimos todos para casa, para almoçarmos todos juntos (o Sandre e a Dri também foram) sem que a chuva nos pegasse, não foi o fim de semana planejado, mas pelo menos não perdemos o fim de semana. Além de pedalar, passamos o dia na companhia dos amigos. 

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Rolê de Bike #27 - Dia da Capivara (se a chuva não atrapalhar)

Devido ao adiamento do Passeio para Mogi, por causa de previsão de chuva, faremos o rolezinho tardicional, o da Capivara, na Ciclovia Várzeas do Tietê, no Parque Ecológico do Tietê.
Nos encontraremos na Ciclovia, na altura da entrada pela Av Dr. Assisi Ribeiro, os interessados por favor confirmar presença por aqui ou por nossa página do grupo no Facebook, chave-de-boca [rolês de bike]. Esperamos vocês lá... abraços.


Ahhh e não se esqueçam de colocar formigas no congelador para não chover no domingo...rsrsrs
Ciclovia Várzeas do Tietê

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Trajetória Chave-de-Boca até aqui... que venham os próximos.

Apesar de não ter participado desde o ínicio do Chave, tomo a liberdade de postar os Flyers dos Rolês desde o primeiro, alguns não aconteceram por vários motivos, chuva, gripes, tempestades, terremotos, ressacas,ausência de bikers, etc. Mas aí está uma mostra de todos os passeio, alguns com itinerários, que possam interessar àqueles que forem aventurar num rolê sem o Chave.

Tudo começou na noite de 04/02/2011, num rolê para o centro. E de lá pra cá já foram #26.
04/02/2011 - Centro

11/02/2011 - Centro

18/02/2011 - Centro

27/02/2011 - Aeroporto de Guarulhos

06/03/2011 - Pq. do Ibirapuera

13/03/2011 - Pq. do Carmo

27/03/2011 - Centro

03/04/2011 - Ciclofaixa

10/04/2011 - Ciclovia Rio Pinheiros

17/04/2011 - Aeroporto de Guarulhos

21/04/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

01/05/2011 - Centro

07/05/2011 - Bicibrejada no Centro

15/05/2011 - Museu do Ipiranga

22/05/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

29/05/2011 - Bosque Maia

05/06/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

23/06/2011 - Ciclofaixa

26/06/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

03/07/2011 - Paulista

10/07/2011 - Estádio do Pacaembú

17/07/2011 - Pq. do Carmo

24/07/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

31/07/2011 - Pq. do Ibirapuera

05/08/2011 - Bicibrejada Centro

07/08/2011 - Ciclovia Várzeas do Tietê

Marcamos nossos passeios pelo grupo no Facebook: chave-de-boca [rolês de bike]
É um grupo aberto, onde todos podem dar sugestões de rolês, a partir daí é só aparecer com sua bike, nos dia e horário marcado e pronto, é só pedalar.

PEGUE SUA BIKE E VENHA!!!

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Primeira vez no Centro de São Paulo de Bike

Hoje foi um dia especial. Tudo começou em Fevereiro (pelo menos para mim), depois de saber que alguns amigos meus estavam andando de Bike por São Paulo comecei a ficar interessado, mesmo não andando há mais de 10 anos. Mas o desafio de encarar as ruas numa bicicleta e reencontrar pessoas que não via por muito tempo por conta da correria da vida me fez ficar cada vez mais empolgado.

Foi quando, depois de tanto encher a cabeça de minha esposa com essas histórias que ela me deu uma bicicleta de aniversário, e logo fui estreá-la no fim de semana seguinte, um role da Penha, no final da Marginal, até o Aeroporto de Guarulhos, confesso que não foi nada fácil, muito mais pelo desconhecido do que propriamente pelo percurso, apesar do preparo físico não estar em dia. Mas para encurtar a história dos meus roles, já que não é o caso desta postagem, vamos ao que interessa. Após esse role, vieram outros e mais outros (já estamos no role #26), e cada vez que chegava em casa, relatava à minha esposa os acontecimentos, e cada vez mais empolgado e com desejo de novas aventuras. Não sei se motivada por meus comentários, ela também começou a se interessar pelo assunto. Até que certo dia ela vira para mim e diz: “Amar, vou comprar um Bike para começar a andar com vocês.” Confesso que não acreditei, até que em Julho, quando ela entrou de férias do trabalho e ma chamou para irmos ao Shopping, pois iria comprar a bicicleta. (Chock total rsrsrs)
Por sorte, moramos próximos ao Parque Ecológico do Tietê, onde há uma Ciclovia muito boa para quem quer iniciar nas pedaladas, e lá fomos nós, logo de cara 32km de pedal, mas fomos firme e forte (eu, a jana, a gigi, e a galera do chave), como qualquer outra atividade física, o saldo foi uma dorzinha aqui, outra ali, mas o mais importante de tudo foi o comentário dela, “quando iremos pedalar de novo?” Isso me deixou muito feliz. Então começamos a ir na semana também, por ela e a Gigi (sua filha) estarem de férias, até criarem uma resistência maior para novos desafios.
Primeiro Rolê da Jana e da Gigi
Esq./Dir.: Jana, Gigi, Dri, Gui, Luciano, Marcos, Erika e Riberto
Foto: Sandre

Então é chegado o Grande Dia, motivo desta postagem. Nos inscrevemos para o Circuito Pedalar da Caloi, um passeio tranqüilo, num ritmo lento por ter muitos participantes, mas o desfio seria pedalar em outro lugar, fora de uma ciclovia. 
As 05h30minh da manhã já estávamos de pé nos preparando, um banho para relaxar, um café para dar energia e um alongamento que é indispensável. Pegamos as bicicletas e fomos pedalando até a estação de trem Engº Goulart, pois a largada seria às 8h, então se fôssemos pedalando teríamos que sair mais cedo, de lá descida no Brás para ligação com o metro, seguindo até o Anhangabaú.

Chegamos bem em cima da hora da largada, mas ainda deu tempo de encontrar um casal de amigos que lá nos esperavam.

Esq. Clara, Marcos e Jana
O Passeio em si, deu 8km, muito tranqüilo mesmo. Um trajeto pelas ruas do centro, pontos históricos da cidade, dando até para tirar algumas fotos.

Terminado o passeio, ainda demos uma volta em alguns lugares pelo centro, passamos até em frete ao Trabalho da Jana, e seguimos para casa, foi aí que veio a surpresa, a Jana não quis voltar de metrô, e sim pedalando até em casa, perguntei se ela não estava louca, e ela disse que queria ver se agüentava. Para minha surpresa, viemos num tempo mais rápido do que esperava e sem empurrar as bicicletas, sempre no pedal. Realmente foi um dia histórico e muito especial para mim. E fico feliz por poder compartilhar com vocês.

E como esse é um blog coletivo do Grupo, espero que vocês também possam expor e compartilhar conosco, qualquer coisa sobre bikes e afins...

Até o próximo Post.

Marcos e Jana