terça-feira, 30 de abril de 2013

#76 - Um super rolê de bike [parte 1]

Galera pronta pro pedal, rumo à Lapa. Foto de Marcelo Rodrigues.
Manhã fria, sol e céu azul de outono. A melhor época pra se pedalar, uns diriam. O rolê #76 começou na praça de apoio ao ciclista, no Tiquatira, região da Penha. Você que nunca veio pra essas bandas, tem uma ciclofaixa de lazer que é uma delícia pra dar umas pedaladas. Funciona aos domingos, das 7h às 16h. Mas nosso destino era outro: Lapa. Não somos um grupo de treino, de pedaladas rápidas, e ainda não fizemos nenhuma ciclo-viagem. Somos adeptos do slow ride, do clássico "siga o mestre" dos tempos de infância. No rolê em questão o "mestre" fui eu. O que não significa muito, ou quase nada, nesse grupo. Já me perdi em muito rolê, com mais de 10 me seguindo. Marcos e Ivan sabem quando isso acontece, mesmo sem eu falar. Me conhecem desde pequeno, não tenho como disfarçar. Aí você já viu! Inventamos o termo ciclo-bullying. O negócio é aceitar, resistir é pior. 

Caldo-de-cana na Av. Ipiranga. 
Depois de encontrar com Caneca no metrô Tatuapé, seguimos num caminho que sempre fazemos pra se chegar ao centro da cidade. Caminho tranquilo aos domingos, poucos carros e praticamente todo plano. Já ali na Avenida Ipiranga, próximo ao cruzamento com a São João, fizemos a primeira parada. Coisa rápida, só pra dar um up.


Minhocão, centro de SP. 
Seguindo pela Avenida São João até o final, uma boa opção é seguir até a Avenida Francisco Matarazzo pelo Elevado Costa e Silva, ou vulgo Minhocão. Piadinhas de quinta série à parte, ainda mais quando um grita "vamos pegar o minhocão", já anote na sua ciclo-agenda se você nunca pedalou por aqui. Está no top-10 lugares pra se pedalar em São Paulo. Acabei de inventar isso. 

Av. Francisco Matarazzo, céu azul. 
Quando surgiu a ideia de fazer um rolê Penha-Lapa, alguém mencionou o pastel do Mercado Municipal da Lapa. Logo incluí no trajeto. Tente imaginar você o que é pedalar com um bando de ciclistas que acordou pensando nesse pastel. Tenho a impressão que muitos só vão no rolê pro tal comes e bebes. Senti olhos vorazes na minha direção quando chegamos e encontramos o Mercadão da Lapa fechado. Eu não verifiquei se estaria aberto. Esse é "mestre" do rolê em questão. Pegue sua bike e junte-se a nós. Por sua própria conta e risco. 

Depois de encontrarmos uma feira de rua e comermos como loucos, como foi a subida até o Sumaré e onde fomos parar seguindo o "mestre" Caneca? Parte 2, em breve. 

Rolê #76 - Luciana, Fabio, Edson, Ivan, Junior, Luciano, Caneca, Marcelo, Welington e Sandre. 
Mais 60km pro grupo. 

Um comentário:

  1. kkkkkkk muito bom !!!

    Rolezinho pela cidade !!!

    ResponderExcluir